quinta-feira, 20 de julho de 2017

Para que saibam...

Neste dia em que comemoro bodas de marfim (adivinhem lá quantos anos são), venho só aqui dizer que a minha vida em comum, até hoje, faz com que eu possa dizer que:


Nem tudo é fácil, mas vale muito muito a pena. A vida não é uma linha recta nem uma auto-estrada. Mas, também se o fosse era muito aborrecida. Temos curvas e contra curvas, caminhos acidentados, mas as nossas mãos não se largam.
Sou uma abençoada pelo amor que recebo, pelo amor que continuo a sentir em mim e que partilho (que cada vez é mais resistente e mais forte), pela família que todos os dias vamos construindo e aperfeiçoando.
Gosto muito da sensação de chegar ao fim do dia e de saber que vamos estar todos juntos. 

terça-feira, 18 de julho de 2017

O que eu tenho a dizer...

Como ser humano, e acima de tudo, como católica praticante numa Igreja com o rosto de Francisco, tenho a dizer ao Dr. Gentil Martins que "estou cansada de moralismos!".
Não aprecio particularmente a forma como CR7 chegou à paternidade  da primeira e da segunda vez.  Isto por causa do dinheiro envolvido. No entanto, não critico e até entendo os motivos dele.  O problema é dele e, como mãe e como pessoa especialmente sensível aos problemas das crianças, ficava muito mais triste se soubesse que os filhos dele não eram amados. O importante é o amor e há tanta criança filha de casais que não o têm.
Quanto à classificação da homossexualidade como doença...nem tenho palavras...
Apesar de estar cansada de moralismos, também estou cansada que se faça de tudo um cavalo de batalha. Que sobre um tema ou notícia haja pessoas a insultarem-se nos comentários às notícias.
As pessoas devem ter mesmo vidas desinteressantes. Live and let live!!!

domingo, 16 de julho de 2017

Felizes??? Muito!!!

Estamos muito, muito contentes com a Mel. Dormiu toda a noite sem chorar...De facto, agradeço a quem cuidou dela que apenas ma tenha dado aos três meses. Já vem com vacinas todas tomadas, faz xixi muitas vezes no resguardo e dorme que é uma beleza. Já limpamos uns cocós e um ou outro xixi, mas nada para o que não estivessemos preparados e que faz parte.
A Mimi gata ficou cheia de ciúmes. Temos nos desdobrado em mimos com ela para não se sentir abandonada...não reagiu com agressividade, mas mantém uma bela distância de segurança.
Acredito que se vão tornar belas amigas!!!
Talvez tenha sido a melhor coisa que decidimos nos últimos tempos. As Minis estão doidas de alegria. Não querem saber de mais nada...É tão bom.




sexta-feira, 14 de julho de 2017

Coisas minhas...

Acredito tão profundamente nisto...
Isto é tão eu...


Estamos ansiosos...

Há meses que esperamos pela chegada da Mel.
Mais uma menina lá para casa. mais uma de nós. Uma mulher, duas Minis, a Mimi gata e a Mel cachorrinha. Vai ficar a família completa!
É já amanhã e parecemos uns tontos a decidir imensas coisas sobre a forma como irá integrar a nossa casa. É uma companhia, uma amiga, uma de nós para a vida.
Mal podemos esperar.


quarta-feira, 12 de julho de 2017

Distanciamento...lucidez...

Ás vezes é mesmo o distanciamento que nos permite ver com lucidez a estupidez ou o ridículo em que caímos, por vezes, quando nos viciamos em algo.
De há uns tempos para cá que me venho distanciando do facebook. Mas, nem sempre foi assim, e fi-lo porque percebi que precisava de me desintoxicar e estava a perder a paciência.
Mas hoje, passei um bocado por lá...e dei-me conta de como em tempos terei sido exagerada...e dei-me conta porque me revi nas publicações de uma amiga, ou seja, vi como era a minha relação com o face anteriormente. Essa minha amiga, está de férias no estrangeiro...no espaço de 8 horas, publicou mais de 30 fotografias dos sítios por onde andou, do que comeu, do que fez...
Pensei para comigo: mas, ela não está de férias? Será que não larga do telemóvel e o facebook? Estas pessoas não desligam para poderem aproveitar a família?
Depois... depois...dei por mim a morder a língua e a pensar que eu era exactamente assim...E levava a mal que me dissessem alguma coisa...
Há coisas que não conseguimos ver com clarividência senão quando nos distanciamos.


domingo, 9 de julho de 2017

Estarei ultrapassada?

Estou aqui com uma dúvida existêncial..
A Mini mais velha está com uma infecção e o pediatra receitou antibiótico.
Quando o fui levantar na farmácia, a farmacêutica, perguntando que idade tinha a criança para quem era o medicamento (ao que eu respondi, 11 anos), alertou-me que, caso a mesma estivesse a fazer contraceptivo oral, o mesmo poderia perder a eficácia.
Eu até percebia e achava normal se ela tive 14 anos. Mas, 11 anos?
Será que fiquei apalermada só por ela ser minha filha ou estarei mesmo demodée???