terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Uma nulidade!

Uma nulidade é como eu me sinto quando vejo determinados vídeos de bricolage, costura ou culinária partilhados no facebook. Na verdade, há uma panóplia de coisas giras e receitas aparentemente tão saborosas e muito muito fáceis de fazer, que me pergunto para onde vai a minha criatividade e onde ficaram as minhas habilidades.
Nos vídeos tudo parece fácil, rápido e maravilhoso. Mas, depois, aqui em casa, as coisas são bem mais complicadas.
A minha mãe insistia em ensinar-me que "Depressa e bem, não há quem...". Passados estes anos todos e visualizados tantos vídeos, creio que ela me andava a enganar...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Tretas minhas...

Por vezes, pergunto-me que é feito dos meus sonhos grandiosos, que é feito da minha aversão à normalidade...
Na verdade, há alguns meses que ser feliz é estar a trabalhar e sorrir porque, não tarda nada, estarei em casa com as Minis e o pai a partilhar o dia. Ser feliz é deitar-me contente porque amanhã é um dia de trabalho que me realiza e me faz sentir melhor pessoa e, sobretudo, uma pessoa útil...Ser feliz é ficar contente quando chega a sexta feira...e encarar com serenidade e alegria o domingo à noite, que tanto odiei até agora.
Deixei de construir castelos e fixar-me objectivos demasiado difíceis de alcançar. Não posso dizer que piorei, que deixei de ter projectos. Apenas aprendi a saborear o verbo estar (aqui - seja esse aqui onde for).





domingo, 26 de fevereiro de 2017

Engano puro...

Quando comecei a fazer caminhadas diárias (há cerca de dois meses), muitas foram as pessoas que comentaram que bom, bom era correr...Quando comecei a aumentar o número de quilómetros por dia, muitas foram as pessoas que me disseram que, não tardaria nada, me renderia à corrida.
Pois, bem...parece que sou uma tipa de ideias fortes ou casmurra. Não gosto de correr e ponto. 
Há dias em que caminho 18 quilómetros (ao fim de semana), mas a minha média são 15 diários, repartidos: de manhã cedinho, à hora de almoço e ao fim do dia (aqui já com a companhia da família). Nunca senti vontade de correr. Bem sei que perderia mais calorias, mas gosto deste ritmo...Neste momento, mais do que forma de queimar calorias, caminhar é, para mim, fonte de boa disposição.



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Só tenho a dizer...Ámen!!!

"O Papa Francisco criticou alguns membros da Igreja Católica esta quinta-feira, afirmando que é melhor ser ateu do que um dos “muitos católicos" que considera levarem uma vida dupla hipócrita.", in, www.publico.pt  .


Quanto mais leio coisas que escreveu, quanto mais vejo o seu sorriso franco, mais aumenta a minha admiração e gratidão por ele... Tenho algum receio que,  por incomodar muita gente, o possam querer calar. Mas confesso, enquanto católica, tenho muito orgulho nesta figura e penso que o admiraria mesmo que não professássemos a mesma religião.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Muito orgulho...

Muito orgulho é o que eu sinto da minha Mini mais crescida. Tem grandes discussões com o pai sobre a escolha do cão que fará parte da família daqui a uns tempos...Eu concordo em absoluto com ela, mas como é ela que vai ser a responsável pelo patudo, não a quero influenciar. Gosto muito de uma raça que conheci há relativamente pouco tempo: o Cavalier King Charles, mas sou sensível aos argumentos dela.
As discussões são sempre entre dois tópicos: escolher um cão de raça pura entre várias que o pai lhe propõe e está disposto a pagar (que são as preferidas dele)...e ir buscar um cão abandonado...O meu orgulho vem do facto de ninguém a convencer...ela quer ir a um canil e pronto... e quer porque, do alto dos seus dez anos, pensa que, embora ambos sejam dignos do seu amor, o do canil precisará muito mais dele.


On line...

Depois de várias advertências no sentido de arranjar calçado de muito boa qualidade para as minhas caminhadas, resolvi procurar e apaixonei-me por uns ténis da Merrell, que vi na página oficial. Não os encontrava em loja alguma, até ter contactado a página on line e me terem informado que o modelo por mim pretendido era, exclusivamente, vendido em Portugal pela SportZone. 
Não o tendo encontrado à venda na loja on line da Sportzone, contactei o apoio ao cliente, que me informou que o modelo era da colecção anterior e, consultado o sistema, verificaram que não tinham nenhum par com as cores e o tamanho por mim pretendido.
Como sempre, quando quero uma coisa que sei que existe, vou à procura na Amazon, et, voilá: encontrei, mais baratas 30 euros. Ou melhor 24 euros, porque tive de pagar os portes. 
Teria então de esperar 10 dias para não pagar mais de portes. Pois muito bem, como sempre, muito mais cedo que o esperado, os ditos ténis, chegarão amanhã, como já me informou via mail a transportadora.
Já fazia compras on line a nível nacional. Mas na Amazon, comecei a medo, quando pretendia determinados brinquedos ou bonecas para as Minis...depois passei para os artigos para casa... nunca fui defraudada...
Sou uma adepta das compras on line, desde o Continente à Lanidor Kids, passando pela Amazon...


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

As doidinhas...

Durante as minhas caminhadas (que já ultrapassam os 15 kms diários, repartidos), cruzo-me com muitas, muitas pessoas, que, como eu, utilizam aquela via própria para o efeito. Resolvi, então, fazer um estudo e ver quantas, daquelas pessoas que por ali caminham, me saudavam com um "bom dia" ou um "boa tarde"...Devo dizer-vos que, em cem pessoas que passam, duas ou três tomaram a iniciativa de me saudar.
Passei, então, a tomar eu a iniciativa, e o resultado foi muito engraçado. A maior parte das pessoas de meia idade quase não responde ou responde "entre-dentes". As pessoas mais idosas respondem alegremente, e ficam mesmo espantadas por serem saudadas.
Hoje, a minha Mini mais velha fez comigo 4 kms. E, parecíamos duas tolas a cumprimentar toda a gente que se cruzava connosco...mas, curiosamente, a taxa de sucesso foi muito maior quanto a resposta. Talvez por ela ser, ainda, uma criança, as pessoas sorriam e respondiam...
Na minha querida terrinha, lá no interior norte, estamos habituados a saudar todas as pessoas com um "bom dia", "boa tarde", ou "boa noite", quer as mesmas sejam da nossa relação, quer não...
Já o meu marido, acha uma idiotice...cumprimentar quem não se conhece...
Eu, por mais anos que viva a sul, serei sempre uma mulher do norte. Uma tola campónia!!!