terça-feira, 22 de março de 2016

Qual a utilidade?

Carlos Cruz apresentará amanhã o seu livro autobiográfico, no qual relata, entre outras coisas, subornos e comportamentos menos adequados da comissão portuguesa com vista a que o Euro 2004 fosse por cá realizado.
Não ponho em causa que esses comportamentos tenham acontecido, como, aliás, são comuns no mundo do futebol. O que eu ponho em causa é a pertinência destas revelações e o suscitar de mais um escândalo doze anos depois de o evento se ter realizado e muito mais de doze anos depois de os alegados factos terem ocorrido. Cheira-me a vingança pelo que tem passado e eu detesto vinganças, acho que é muito rasteiro o comportamento de quem se vinga do que quer que seja...acredito que vida se encarrega sempre de fazer justiça!

5 comentários:

  1. Se estiver inocente...soa_me a "vingança"!?
    Se não... soa_me a palhaçada!

    ResponderEliminar
  2. Oh pá, já não falam dele há imenso tempo!! Se é autobiografia que conte os seus podres e não os dos outros!!

    ResponderEliminar
  3. eu não acho que seja vingança. Quando uma pessoa sente incómodo com algo e guarda para si, na situação dele em que tem pouco com o que se ocupar, é natural que brote à mente assuntos tais, ainda mais tendo tanto tempo para refletir na injustiça/justiça e como esta funciona.

    Bom, eu não simpatizava com ele no tempo do 1,2,3 mas não sei se acredito na razão pelo qual o meteram dentro. Acho que não acredito mas falo apenas por feeling. E se a razão pela qual o meteram dentro é o euro2004? Um tipo que se sente imjustiçado e se vê tramado procura em todo o seu passado uma razão para tal vilania.

    Mentiram bastante no caso casa pia. Aquilo foi um travesti, uma vergonha. O herman é o que é, também foi metido ao barulho e estaria dentro, não fosse estar a dar um show noutro país na suposta altura em que o incriminaram. Quem diz que o cruz não pode ter tido o mesmo destino? Li o ano passado o relato de alguns desses «putos», agora adultos, a confessar que mentiram e disseram o primeiro nome que lhes aparecia na cabeça e que se lembravam da televisão. E que achavam espantoso que os policias acreditassem em tudo o que diziam. E como queriam saber mais, inventavam mais. Enfim... eu cá a pensar.

    Corrupção a meu ver, não importa quantos anos se passaram. É para trazer ao de cima SIM e levar os infractores a responder na justiça. Nada de impunidade porque se passaram «20 anos» lol.

    Só que também acho que o Carlos Cruz é uma voz muito bem silenciada e mesmo que ele diga muita coisa, o efeito pode muito bem ser apenas uma ondulação numa poça de água e não o tsunami que ele imagina na sua cabeça.

    ResponderEliminar
  4. PS: Ainda que o caso tenha «rrebentado» antes de 2004, alongou-se eternamente com sucessivas prisões nos anos seguintes. Talvez um dia se saiba mais alguns dados que sejam realmente esclarecedores.

    ResponderEliminar