De como me senti uma nulidade...

Infelizmente, hoje, excepcionalmente, o despertador tocou e eu desliguei-o. Acordei com 25 minutos de atraso. O que para quem faz tudo coordenado ao minuto, com duas crianças, é muito, muito tempo.
A Mini mais nova, levantou-se e em vez de ir tomar os cereais já preparados, sentou-se a ver desenhos animados, quando dei conta, falando alto, mandei-a comer.
Depois de eu tomar banho, ela ainda não tinha comido porque estava a brincar com o cesto da fruta. Dei-lhe um berro para comer.
Estávamos todos prontos e ela estava deitada no chão a tentar vestir as calças. Mandei-a por de pé e vesti-a contra a vontade dela, porque acha que é uma tarefa dela em que não precisa de ajuda.
No fim dito tudo, depois de ser contrariada, choramingava que eu não a amava o suficiente, e que precisava de muito amor e carinho. Fui para o trabalho a sentir-me uma nulidade como mãe...por mais que tentasse perceber que havia ali muita chantagem emocional, não conseguia deixar de me sentir culpada...mas quem é que nunca, nunca gritou com os pequenos de manhã ?

15 comentários

  1. Apesar de eu ainda não ter filhos. Penso que é mais que natural, isso acontecer.
    Ainda mais com a pressa em sair de casa, em despachar as crianças, vesti-los, pequenos almoços, etc. Não és nada uma nulidade como mãe ;)

    ResponderEliminar
  2. Eu não tenho filhos mas penso que não deves ligar.
    Claro que é chantagem e que venha alguém de facto de dizer que de manhã não levantam o tom de voz quando os pequenos se atrasam...
    Não te martirizes.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Respira fundo! Há dias maus... Amanhã é melhor!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, porque amanhã ficam entregues aos avós que vieram de propósito para eu ir para o laréu...comemorar 20 anos de curso! hihi!!!

      Eliminar
  4. Um lufa lufa...que cansa qualquer mãe!
    Deixe lá pois amanhã é sábado!!!
    Boa noite

    ResponderEliminar
  5. É isso que me espera apartir de amanhã? "Já não me amas..."

    Ai ai...

    Beijinhos,
    Novo Post no Blog | FACEBOOK | INSTAGRAM

    ResponderEliminar
  6. Calma amiga, tudo isso é normal. Mas por jeito não foi só o teu relógio, cá em casa não tocou, a sorte é que não há crianças para mandar para a escola ( por enquanto)
    Não te culpe, tudo isso é normal, elas crescem e modificam.

    Muito boa sorte para amanhã.

    Beijo, bom fim de semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Quando isso me acontece fico com um tau desgraçado o resto do dia... Às vezes é inevitável!

    ResponderEliminar
  8. eu grito praticamente todos os dias, mas não me sinto uma nulidade como mãe pelo contrário, grito e ralho porque me importo!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Nao sou mae mas sou tia de muitos e sinceramente as vezes ouvem berros porque querem. Nao pode ser algo frequente mas de vez em quando nao tem mal nenhum (na minha opiniao obvio)

    ResponderEliminar
  10. Eu já dei por mim a ralhar com a minha filha logo de manhã. Se a culpa era dela? Provavelmente não, mas sim minha porque não orientei da melhor forma o tempo que tinha logo de manhã. Porque o raio do relógio não pára e estava a ver que não chegava a tempo e horas ao trabalho.

    ResponderEliminar
  11. Cá em cada, rapariga, é comum. Principalmente com o sair da cama e nem só sem atrasos. A coisa começa bem, mas à medida que os ponteiros do relógio avançam e eles não se mexem da cama. ...aí os nervos! Ehehehe! Não te aborreças que é normalíssimo com quem tem filhos!

    ResponderEliminar
  12. "Nulidade" ? - não, nunca!
    Em momentos de desespero, talvez. Mas qual a mãe que não os tem? Se disser que não, mente com todos os dentes e até com os que não tem!
    Criança é maravilhoso - vírgula bem marcada - mas dá trabalho!!!
    O mal também acrescentado ao caso é essa vida corrida que uma mãe tem, que nos tira do sério.
    bj amg

    ResponderEliminar
  13. Calma, não te sintas culpada. As crianças precisam de perceber que os pais também têm dias menos bons. Possivelmente levaste alguns gritos da tua Mãe, não foi por isso que não te fizeste uma mulher. Dizem que protegemos muito as nossas crianças e até certo ponto concordo.
    E não tem a ver com falta de carinho, que esse nunca é demais. Tem a ver que elas precisam de compreender que nem tudo são facilidades.
    Tem uma boa semana. Bjs.

    ResponderEliminar
  14. ui... com a minha é todo o santo dia, que a criança só se despacha a toque de "empurrão".

    ResponderEliminar