Isto também me deprime...

Para além dos atentados terroristas, da hipocrisia existente no mundo, ler a frase que vem a seguir, também me deprime. Sobretudo, quando penso nas crianças.

“No ano passado, por falta de dinheiro, 50% dos portugueses falharam cuidados de saúde considerados essenciais do ponto de vista médico. E ninguém escapou às dificuldades: um terço eram crianças, que ficaram sem tratamentos, consultas ou medicamentos aconselhados pelo médico”, indica a revista de saúde da associação de defesa do consumidor, com base num inquérito a 1.763 famílias portuguesas. (DECO)

7 comentários

  1. É muito triste mas é uma realidade bem presente.

    ResponderEliminar
  2. Convém não esquecer que Portugal tem 20% de pessoas no limiar da pobreza.

    ResponderEliminar
  3. Pois é... e andamos nós aqui a discutir ninharias de quem é que vai para o governo.
    Outro dia disseram-me na farmácia que há pessoas que não aviam medicamentos para a hipertensão arterial, por falta de dinheiro. Depois admiram-se de morrer tanta gente de AVC.
    O mundo está uma vergonha. :/

    ResponderEliminar
  4. Deprime e muito!
    Temo, no entanto, que em alguns dos casos, tenha sido por prioridades trocadas... Há dinheiro para telemóvel e internet em casa, e para tomar o pequeno almoço fora, mas não para o essencial...
    Não é naturalmente aplicável a todas as situações, mas suspeito que muita da pobreza em Portugal é de espírito!

    ResponderEliminar
  5. É cada vez mais essa a realidade do nosso país :( Estar doente hoje em dia é um luxo que muitos não conseguem pagar... Não imagino a dor de um pai que não consegue dar a um filho o tratamento médico que ele precisa...

    ResponderEliminar
  6. Há dias, tive de fazer uma análise que não é comparticipada, e me custou 50.40€ Ontem tive de comprar uma vacina, que me custou com comparticipação 49.00€. Ou seja fora a medicação habitual tenho este mês mais quase 100.00€. Para uma reforma de 274.00€
    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Ainda me choca mais a quantidade de crianças que vai para a escola de manhã sem comer.

    ResponderEliminar