Que pensar?

"O Governo alemão anunciou esta sexta-feira que das 32 pessoas detidas na véspera de ano de novo, na sequência da onda de assaltos e crimes sexuais na cidade alemã de Colónia, 18 são refugiados."

18 comentários

  1. Realmente, é uma situação que dá que pensar...Considero, no entanto, que a criminalidade está também ligada a condições de vida precárias e, parece-me, que os refugiados se encontram nesse grupo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi a primeira vez que me questionei. Tenho sido totalmente a favor do acolhimento.

      Eliminar
  2. Já fui achincalhada quando um dia por infeliz momento disse mas deles. mas continuo com a minha ideia... Aceitam tudo.. tem tudo para eles, e por fim fazem porcaria. Eu nem sequer tenho direito a uma consulta gratuita, e apenas com o salario do meu marido,. 614,28€... Mas eles chegam e têm tudo. Pois claro .

    Beijo, bom fim de semana
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem paga as despesas não é, obviamente, o governo português.

      Eliminar
  3. Nos refugiados certamente encontramos gente boa mas infelizmente também devem estar os maus os que realmente não prestam. É uma situação muito difícil.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Parece-me normal que entre os refugiados existam alguns anormais. Não me parece é que a generalidade dos refugiados seja estúpida ao ponto de tomar atitudes que, à partida, só os iriam prejudicar.
    Se queres saber, a mim isto "cheira-me" a provocação organizada pelos extremistas que estão contra a política de refugiados.

    ResponderEliminar
  5. O que me preocupa é que eles qualquer dia chegam cá... Mas fora isso não devemos generalizar a situação, nem todos os portugues são bons, nem todos são maus - com os refugiados acontece o mesmo.

    ResponderEliminar
  6. A verdade é que a religião deles permite esse tipo de coisas e, como é sabido, eles não são um povo que goste de viver sobre os nossos costumes mesmo vivendo nos "nossos" países. Normalmente, eles próprios criam comunidades independentes onde se instalam (que o digam a França e a Inglaterra). Sim, no meio deles com certeza que há gente que repudia este tipo de situações, mas como sempre, por uns, pagam os outros e isto são actos de abominar mesmo.

    ResponderEliminar
  7. Isto dá que pensar... se por um lado queremos ajudar, com notícias destas, ficamos de pé atrás...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Em todo o lado há pessoas boas e pessoas más. Tantos que têm vindo que alguns seguramente são de má indole, mas nem todos certamente.

    ResponderEliminar
  9. As generalizações são perigosas, assim como as segundas intenções que esse texto transmite.

    r: Desejo o mesmo*

    ResponderEliminar
  10. Penso que será um pouco exagerado dizer que eram todos refugiados, malucos e gente má há por todo o lado. Mas nao sei.

    ResponderEliminar
  11. ???
    Não sei o que dizer. Ou o que pensar.
    Mas penso que temos que nos despojar de pre-conceitos que associamos às palavras. "Refugiados" achamos que são pessoas sem nada a precisar de ajuda. Mas a verdade é que más pessoas até podem vir em todo o tipo de embalagem. Mesmo nessa, o que é lamentável.

    Eu ainda não estou de todo convencida sobre os 18 serem refugiados...Não sei se não será propaganda para manchar esta emigração. Mas que acredito que haja muita genta mal intencionada e mal formada entre refugiados, acredito. Logo, se calhar não convém contrariar a lógica de que seriam capazes de actos grotescos destes. Até porque se sabe que a cultura e a miséria de muitos países, faz muitos homens jovens inclusive, acharem-se no "direito" de tratar as mulheres como lixo e carne para sexo.

    LAMENTO!!

    ResponderEliminar
  12. Eu sempre achei que isso dos refugiados ia trazer maus resultados... No meio de tanta gente há sempre quem não preste... E por uns pagam todos...

    ResponderEliminar
  13. Infelizmente há ainda muita ignorância no que diz respeito ao refugiados. E notícias deste género não ajudam a desmistificar. Os refugiados não podem ser, agora, desculpa para todos os males da Europa.

    ResponderEliminar