Angústia...

Acho que ninguém entende a angústia que sinto por a Mini mais velha ter peso a mais. Já a levei à endocrinologista, já emagreceu, já engordou...Já a levei à nutricionista e nunca conseguiu fazer o que lhe foi proposto...cozinho o mais saudável possível (por ela e por nós todos), preparo lanches a saudáveis. Mas não consigo lutar contra as gomas e doces que troca ao intervalo com colegas, não consigo lutar com os doces e outros alimentos hipercalóricos que amigos e avós enfiam na menina, porque coitadinha não vai ficar a olhar.
Tenho um nó tão grande em mim...nó esse que aumenta quando mudamos de estação e tenho de lhe comprar roupa. Tem 10 anos e não há roupa na secção infantil que lhe sirva...Passei o dia, com ela, ontem horas no veste e despe, para comprarmos duas T-Shirts, Acho que da próxima vez que alguém lhe oferecer croquetes ou batatas fritas, porque coitadinha, quando crescer isto passa, bato na pessoa que o fizer!


17 comentários

  1. Até aos meus 13/14 anos tinha bastante excesso de peso. Depois o próprio metabolismo mudou e emagreci bastante! Espero que com a pequenota aconteça o mesmo.

    ResponderEliminar
  2. Nunca tive paciência para pessoas que desrespeitam as regras dos pais. Foi isso que me afastou das avós e tias que, mal "a menina" fungava, iam a correr pegar-lhe ao colo, ou estavam sempre prontas para a atafulharem com doces e bolos.
    Essa teoria do "quando crescer isso passa", esquece a outra do "quando crescer isso pode transformar-se num problema psicológico grave". E depois os pais que resolvam... :/

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde minha querida!
    Eu penso que, com a idade, a tua menina vai ao sitio. Não te enerves, ela cresce, e depois tem mais consciência do que pode e não pode, querendo ela, claro..

    Passa no meu blogue, :) Obrigada

    Beijo e um óptimo Domingo

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderEliminar
  4. É um problema muito complicado, Maria... Percebo bem essa angústia. Eu em miúda tive também excesso de peso. Por mais que os pais tentem controlar, não conseguem controlar tudo, é impossível... Talvez com o crescimento dela, ela também comece a entender que lhe faz mal, que não é bom para ela e comece a recusar muitas das coisas menos saudáveis que lhe oferecem.

    Um beijinho e um bom domingo :)

    ResponderEliminar
  5. Compreendo a tua preocupação, mas acredita, ela por ela é que tem que ir lá.
    A minha irmã sempre teve excesso de peso, aliás, era obesa mesmo. Não vou dizer valores mas tinha mesmo muito peso.
    Perdeu peso com a minha ajuda é certo, mas quando ela achou que era altura.
    É bom controlares, mas ela é que há-de mudar por ela.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Imagino que seja mesmo complicado - lembrei-me que tinha colegas magrinhas que comiam muito porque faziam exercício, uma fazia ballet - talvez inscrevê-la numa actividade assim que ela goste, possa ajudar

    ResponderEliminar
  7. Com a idade dela acho mesmo que deves ser tu ainda a preocupar-te com isso. É principalmente uma questão de saúde e se os outros não respeitam impõe as tuas decisões. No início ainda passei por algumas situações complicadas com alguns elementos da família, em relação à alimentação dos pequenos, mas lá aprenderam que eles só comem o que eu acho que lhes devo dar. Ainda agora me perguntam se lhes podem oferecer determinados alimentos. E se tiverem tempo faz atividades físicas com ela: saltar à corda, andar de bicicleta, dar caminhadas ou mesmo dançar... Faz maravilhas!

    ResponderEliminar
  8. Concordo com o que foi dito acima, eu também era mias gordinha, nunca fui magra nem hoje sou magra mas sou saudável e estou dentro do peso normal (no limiar mas estou e faço desporto e como bem).
    Para miúdos o mais fácil visto que controlar tudo o que ingerem é uma tarefa impossível, é mesmo actividades extra curriculares com desporto, seja andar mais, ou aulas de alguma coisa que ela goste...

    ResponderEliminar
  9. tenta brincar com ela em coisas que envolvam actividade fisica :) Apanhada, caminhadas, andar de bicicleta :)

    ResponderEliminar
  10. é por essas e por outras que eu tenho fama de má e bruta, é que detesto quando desrespeitam aquilo que lhes pedimos e salta-me a tampa. Nós os pais sabemos o melhor para os nossos filhos e se há que fincar pé e dar umas respostas tortas, eu dou. Não gostam? Temos pena. Sei que depois até podem fazer pelas nossas costas, é impossível controlar tudo, mas pelo menos à nossa frente as regras são seguidas.

    ResponderEliminar
  11. Outro exagero teu, a menina é linda! Põem-na no desporto, deixa-a brincar, correr, saltar, deixa-a ser feliz e claro alguns cuidados sobretudo nas quantidades de comida...mas deixa-a ser feliz, que essa insistência com as dietas podem fazer dela uma adolescente problemática...mais uma vez digo que eu não sei nada...o meu filho na idade dela foi gordinho, nunca fiz disso bicho de sete cabeças, hoje é um jovem normal, acho eu. beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto (menos na parte se é ou não exagero porque não conheço nem vi foto da criança mas a tendência é sempre achar assim, penso). Concordo especialmente com a parte de se fazer um bicho de sete cabeças. A felicidade da criança é mais importante. Se fosse obesa, aí seria outra história. Mas gordurinhas queimam-se com felicidade e atividade física :)

      Eliminar
  12. Não é fácil crescer com uma adequada educação alimentar hoje em dia...
    Quando não são os próprios pais a enfardar a criança, são outros...

    Pode ser que estejam certos e lhe passe com o pulo. Mas penso que o importante é ela se sentir bem e gostar de si mesma mesmo que esteja ou venha a ser gorda. O contrário é terrível. Uma pessoa gordinha mas com autoconfiança vale por 10 magrinhos inseguros.

    Quando chegar a adulta e tiver outra noção das coisas, se o desejar, por ela mesma é capaz de fazer por mudar. Eu defendo que as gordinhas também têm direito de existir, ehehe.

    As gomas e doces na escola ou o "contrabando"... acho que faz parte. O importante é que tens esses cuidados e ela segue uma alimentação saudável. Será que privar resulta com uma criança de 10 anos? O melhor talvez seja estipular um dia da semana onde esta e todos podem comer um doce que gostem. E sempre, sempre fazer exercício. Em brincadeiras isso é possível. Fazer exercício é essencial.

    ResponderEliminar
  13. Olá, nunca comentei por aqui, mas este assunto mexe directamente comigo e por isso não consegui deixar de dar a minha opinião.
    Eu percebo perfeitamente a tua preocupação!
    Eu sempre fui a gordinha da turma, a gordinha das primas, a gordinha no trabalho!
    Desde que me lembro que ouvia dizer "é tão linda, mas é tão forte!"... a minha mãe sempre se preocupou comigo e tentava que eu comesse mais saudável, mas depois havia sempre aquelas pessoas que diziam "oh, deixa lá a menina, quando ela crescer emagrece... ela tem muito tempo para ter cuidado com o que come!"...
    Mas a verdade não foi essa... fui crescendo e fui engordando até ficar obesa!
    Sofri muito com o meu peso e com o meu aspecto. Deixei de gostar de mim e entre os 18 e os 22 vivi com depressão e quase me isolei dos meus amigos e do mundo...
    Fiz muitas dietas, algumas loucas, passei muita fome, tomei comprimidos, ganhei repulsa à comida, deixei de ter prazer ao comer e emagreci... mas durou pouco, rapidamente engordei quase tudo outra vez!
    Desde que me conheço que vivo em dieta e isso é muito duro! Só quem passa por isso é que compreende!
    Uma criança gorda, tem tendência a ser um adulto gordo - não me venham com histórias, raros são os que emagrecem sem muito esforço e sofrimento!

    Por isso te digo, SIM, preocupa-te com o excesso de peso da tua filhota, ajuda-a a emagrecer, como saudável com ela, deixa de comprar sumos, bolachas (mesmo as integrais que são um veneno) e cereais.

    Opta pelas galetes de arroz acompanhadas por 1 fatia de queijo ou fiambre aos lanches e uma maçã (ou outra fruta qualquer) a acompanhar.

    Deixa por completo o pão (até mesmo o escuro) e a massa.

    Ás refeições compõe o prato com uma boa quantidade de proteína (carne, peixe ou ovos) com muitos legumes ou 1 grande salada e um bocadinho de arroz ou batata doce.

    A lógica é comer bichos e plantas e deixar os alimentos processados e cheios de açúcar.

    Vais ver as diferenças a ocorrer naturalmente.

    Ajuda a tua filha a ser ainda mais feliz! Ao contrário do que dizem, os gordos não são mais felizes! Eu pelo menos enquanto gorda sentia-me mal com o meu corpo e isso sempre me criou muitas inseguranças.

    Não lhe incutas que está a fazer dieta, ajuda-a a compreender que é um estilo de vida, o vosso estilo de vida.

    Combina com ela um dia na semana para as asneiras, por exemplo: o sábado ou domingo.

    Muita força e desculpa o desabafo tão longo.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar