domingo, 14 de agosto de 2016

E tudo o que é bom...

E tudo o que é bom (como tudo o que é mau) acaba sempre. As minhas férias acabaram, porque, ao mudar de área tenho de deixar resolvidos todos os dossiers que me foram apresentados antes de entrar de férias. Ficarei por casa a resolver assuntos pendentes...
Volto das férias completamente revigorada e cheia de força. Convencida, porém, que, melhor que uma semana num Resort de 5 estrelas no Algarve, com tudo incluído (assim começaram as minhas férias), é a casa dos meus pais na pequenina cidade do interior, rodeada de afectos de brisas suaves nocturnas, com muitas caminhadas e reencontros à mistura. Nunca me sentirei em casa na terra que me acolheu e que habito...e cada vez que regresso às minhas origens, mais convicta fico disso. There´s no place like home.

12 comentários:

  1. É no nosso chão que nossas raízes "se espalham" ;)

    Bom regresso à labuta.
    bj amg

    ResponderEliminar
  2. Penso que o conforto da nossa família nunca conseguirá ser substituído por nada.

    ResponderEliminar
  3. Que bom que as férias te fizeram bem e recarregaste bem as baterias. Tenho a certeza que com o gosto de ires entrar num "novo" serviço, noutro lado, as coisas que tens pendentes que vão correr muito bem. MUITA FORÇA para ti.

    Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  4. hummm pois eu estou noutra fase da vida. Por mim desde que esteja com os meus a minha casa
    é em qualquer lado, menos na tua terra emprestada, irra isso nunca, hahahahahaha. Acho que o problema é que não gostas mesmo da terra e por isso nada a fazer, se calhar se fosse outra terra com a qual te identificasses mais estavas "mais em paz". Eu mudei, não sei se da maternidade tardia ou se foi ali na viragem para os 40's que passei a ser mais do mundo e menos daqui ou dali. Acho que o clique deu-se o ano passado quando viajei para os states, senti na hora que ali seria igualmente feliz. E tenho me dado conta que ficaria bem em qualquer parte. Estou pouco agarrada a raizes, a terras, a casas e a pessoas. Sinto me mais livre. Desculpa o discurso. beijinho grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto com a Maggie "Estou pouco agarrada a raizes, a terras, a casas e a pessoas" talvez por estar sozinha neste mundo...

      Eliminar
  5. Concordo contigo no que dizes relativamente à nossa casinha: não há hotel de 5 estrelas que lhe ganhe ;)

    ResponderEliminar
  6. Sim é verdade o "luxo" não é igual a felicidade, essa só encontramos junto dos nossos.

    ResponderEliminar
  7. Casa é isso mesmo! Onde tudo faz sentido! Tenho a sorte de viver na cidade em que nasci, no espaço onde encaixo na perfeição.
    Bem vinda de volta e que o novo local de trabalho se transforme em "CASA".
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Passei por experiência semelhante muito recentemente.
    Boa semana, bom regresso.

    ResponderEliminar
  9. Não há sítio no mundo onde estejamos tão bem como no nosso chão. Naquele que pisamos quando demos os primeiros passos e onde crescemos em tamanho e em sonhos.
    Estava em Lagos quando chegou a Albufeira e lá continuei quando viajou para o norte.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  10. Seja o local onde for, o que importam são os afetos. Não há nada mais precioso do que aqueles, que nos querem bem

    ResponderEliminar
  11. O importante é que te sentes cheia de energia! E sim, acredito que não haja nada melhor do que estar e voltas às origens.

    ResponderEliminar