quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Nem sempre...

Metade dos meus amigos, por assim dizer, anda numa discussão acesa no fecebook sobre a notícia da proibição, em França do uso de burkini, ou seja, o biquini burka.
 Muitos defendem que, se é para haver reciprocidade, então que se proíba, pois que, em países como o Dubai todas as mulheres (nacionais ou estrangeiras) têm de ir à praia completamente tapadas e os homens não podem andar de calções. Percebo o ponto de vista. Mas não concordo. Se acho uma estupidez que os outros países imponham às mulheres que professam outra religião que andem todas tapadas, não vou também eu ser estúpida e impor às mulheres cuja tradição lhes impõe determinado comportamento, que na minha terra também o façam. Se acho mal que lá seja assim, não me parece que seja o princípio da reciprocidade que o justifique...parece-me mais uma coisa de vingança! Nem sempre a reciprocidade justifica tudo, sob pena de sermos mais estúpidos que os outros.



16 comentários:

  1. Isto de quem acha que tem de ser tudo "olho por olho, dente por dente"...
    Concordo consigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara amiga, De certeza que fala por bem, mas conselho-a a estudar o Islão, para perceber o que se esconde por detrás da burqa. Sabia que nos países islâmicos, quando uma mulher é estuprada, é ela que é condenada? Sabia que a pena para quem deixa o Islão é a morte? Sabia que os muçulmanos cortam o clitóris às mulheres todas, para tornar as relações sexuais ultra dolorosas e assim diminuir as chances de adultério? Sabia que o marido muçulmano pode espancar, violar e matar as suas mulheres à vontade, que são propriedade dele, como objectos?

      É tudo isso e muito mais que eles nos (vos) destinam:

      http://www.raymondibrahim.com/

      http://quotingislam.blogspot.pt/

      http://www.islam-watch.org/

      http://gatesofvienna.net/

      http://sultanknish.blogspot.pt/

      http://sheikyermami.com/


      http://www.answering-islam.org/

      http://www.answeringmuslims.com/

      http://quotingislam.blogspot.pt

      http://www.barenakedislam.com/

      www.jihadwatch.org

      http://www.thereligionofpeace.com/

      http://www.raymondibrahim.com/

      http://quotingislam.blogspot.pt/

      http://www.islam-watch.org/

      http://gatesofvienna.net/

      http://sultanknish.blogspot.pt/

      http://sheikyermami.com/

      http://www.barenakedislam.com/

      www.jihadwatch.org

      http://www.thereligionofpeace.com/

      E há muito mais!

      Eliminar
    2. Na Bíblia, também há muita coisa que deixa qualquer pessoa com bom senso estupefacta! Já, por isso, não sou religiosa de maneira alguma.
      E a proibição provavelmente, só irá fazer com que as mulheres deixem de ir à praia. Não vai mudar nada do que seria urgente mudar como, por exemplo, todas essas atrocidades que menciona. Só vão restringir ainda mais a liberdade delas.

      Eliminar
    3. Conheço pessoas que viveram até bem pouco tempo em países Islâmicos, têm irmãs e elas têm clitóris e até vão casar por amor que ninguém lhes arranjou o casamento.
      Quanto a violação já se condenam menos mulheres mas os homens nunca vão presos.
      Mas sim, há muita coisa má a ser melhorada, mas como disse a K. há muita atrocidade também na bíblia.

      Eliminar
  2. Sou a favor da liberdade, mesmo que não vá de encontro ao que considero certo ou errado. Se há quem, por uma ou outra razão, tem as "regras" da sua cultura e quer segui-las, penso que aos outros impõe-se o respeito pela opção.
    bjn amg

    ResponderEliminar
  3. O burkini é apenas uma provocação do islamismo, que diariamente mata milhares de inocentes, tortura e estupra mulheres e crianças, nomeadamente aqui na Europa. O burkini é uma degradação para as mulheres e uma manifestação de supremacismo e colonialismo jihadista. Se puder, estude o que é na realidade o Islão:

    http://infielatento.blogspot.pt/
    https://tiaocazeiro.wordpress.com
    http://infielatento.blogspot.pt/
    http://olhonajihad.blogspot.ca/
    http://ombl.wordpress.com/
    http://www.exmuculmanos.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho nada contra o Islão nem contra os seus costumes como este da burca. Sou católica, praticante, e embora tenha alguns neurónios e não seja apologista de todas as posições da igreja católica, aceito que a fé nos leve a determinados comportamentos e, portanto, acredito que muitas mulheres muçulmanas também o façam por fé. Aliás, em 2004 fiz 15 dias de férias num país maioritariamente muçulmano, via as mulheres andarem na praia com as crianças de brukini e não me pareceram nada, mas mesmo nada infelizes. Nem todos os muçulmanos são infelizes ou más pessoas. Sou contra todo e qualquer tipo de rotulagem das pessoas, sou contra qualquer tipo de radicalismos, e classificar-se TODOS os muçulmanos desta forma é coisa que não concordo nada!

      Eliminar
  4. E as senhoras, sendo mulheres, deveriam estar a par do que o Islão faz às mulheres nos países islâmicos e quer impor-nos cá. As mulheres no Islão são espancadas pelos maridos, são mantidas como escravas sexuais e tratadas como não se trata o gado. E é isso que a invasão muçulmana da Europa quer fazer-vos. Por favor, informe-se:

    https://www.youtube.com/channel/UCkIzMNGHOMrhiM5R7ZIoxfg

    ResponderEliminar
  5. Olha nem sei que diga. Com o que tem acontecido, às vezes a cultura em questão (e aqui já estou a misturar religião com cultura o que não é certo eu sei) que tem sido sempre respeitada "por cá", tem-se portado muito para connosco.

    ResponderEliminar
  6. Eu sou apologista de proibir. Realmente não é a melhor solução, mas pode ser que ajude às coisas a ficarem diferentes.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Entendo o teu ponto de vista, mas apesar de não ser a favor de proibições em nome da religião, confesso que me mete um pouco de impressão que a religião se sobreponha num estado de direito. A verdade é que qualquer dia, e por este andar quem vai ter de submeter a esses costumes vamos ser nós e isso não posso aceitar. E que fique bem claro, que eu não sou contra a vinda de imigrantes e refugiados.

    ResponderEliminar
  8. Estive no Dubai muito recentemente.
    Andei de calções sem qualquer problema e a minha mulher e as minhas filhas andaram sempre de biquini na praia e na piscina.
    E estivemos lá na época do Ramadão.

    ResponderEliminar
  9. Pessoalmente, tb me parece mais vingança que outra coisa.
    Não concordo com a obrigação de elas terem de usar tal vestimenta (nem com tantos outros comportamentos relativamente à mulher), mas essa "libertação" terá de partir de dentro da comunidade e não como uma imposição ocidental.

    ResponderEliminar
  10. É tão isso, o que sempre digo. E se nós gostamos de ser respeitados como somos, como podemos não respeitar as tradições e cultura dos outros...

    ResponderEliminar
  11. Eu concordo. Tem de existir o direito à liberdade.
    Mas se não se consegue viver respeitando a liberdade dos outros - e neste caso refiro-me aos muçulmanos que agrediram o turista que tirou uma foto - então se calhar pode ser educacional evitar que mais situações parecidas acontençam.

    Por vezes é preciso dar um passo atrás para os outros darem dois à frente.

    ResponderEliminar