segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Isto tem que se lhe diga...

Sou mãe de duas filhas...Educadas de forma mais ou menos idêntica.
Tive uma educação religiosa católica e sou uma mulher de fé, embora nem sempre concordando com as posições da igreja.
Por isso, tenho as Minis na catequese. A mais nova, de 8 anos, desde sempre, sem qualquer explicação, revelou uma fé inabalável. A mais velha, de 10 anos, continua céptica ao fim deste tempo todo...
Falhei? Não...a fé ou se tem ou não. Não é algo que se ensine...

19 comentários:

  1. Ou se sente ou se trabalha e se acaba por sentir, ou não se sente. Não se pode obrigar a sentir...
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Penso que faz parte da personalidade de casa uma. Como se diz: Temos cinco dedos e nehum é igual, todos levaram a mesma educação.

    Um beijinho grande para ti, e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  3. Mas é que podes ter a certeza! :) Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. É mesmo. Ou se tem ou não se tem. Não se ensina e também não se impinge, como muita gente quer fazer aos miúdos. Só contribui para a crise de fé.

    ResponderEliminar
  5. Tal e qual. E isso parte mesmo das pessoas.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Acredito que todos temos fé, uns mais , outros menos evidentes, penso na fé como uma semente e ela cresce de acordo com o quanto cuidamos dela, fé é algo que tem que ser trabalhado, com certeza sua mini mais velha, esta apenas com a fé adormecida, e no momento certo ha de acordar...........bjucas e uma semana abençoada a todas!!

    ResponderEliminar
  7. Acho que se deve dar a escolher e mostrar as várias religiões e filosofias de vida que existem. A minha mãe é católica e queria que eu fizesse o crisma. Mas eu não acredito em Deus. Identifico-me mais com a filosofia budista. Mas sinceramente, acho que aquilo em que acreditamos é o que menos importa, desde que haja respeito e amor para com o próximo.
    Beijinho* Confissões de uma Pecadora by Valentina ||
    FACEBOOK ||
    Croquis - Home Decor

    ResponderEliminar
  8. Ela lá terá a fé dela :) não te preocupes! O que interessa é ser bom ;)

    ResponderEliminar
  9. Eu tenho uma opinião diferente.

    Com 4 filhos, sei que não se educa da mesma forma.
    É impossivel.

    Eles nascem em épocas diferentes da vida dos pais.

    As circunstâncias (ser o 1º filho ou o 4º, o meio, a turma, os amigos, o tempo, etc, etc) veem torná-los diferentes...quando, à partida já o são.

    Tiveram influências genéticas, na gravidez ....tudo diferente.

    Viva a diferença!

    Estou por aqui no FB, tu és minha amiga:
    https://www.facebook.com/margarida.farinha.9

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Lá está! Ou se tem ou não :) pode um dia mudar, nunca se sabe!

    ResponderEliminar
  11. Pois, não se ensina ;) acho que é daquelas coisas que, mesmo incutidas (ou não) por quem educa, irá partir da própria pessoa!

    ResponderEliminar
  12. Deixa-a sentir. O coração de cada um bate a um ritmo próprio!

    ResponderEliminar
  13. Não se ensina não ! É algo que cada um tem de descobrir por si só

    ResponderEliminar
  14. Comigo e com a minha irmã foi tal e qual e não adianta insistir, não é por isso que ela vai mudar.

    ResponderEliminar
  15. A Catarina (18 anos) nunca teve grande ligação à Igreja.
    A Mariana (13 anos) sim.
    Mas já se afastou.
    Tal como eu e a mãe, têm fé mas vivem-na à sua maneira.

    ResponderEliminar
  16. A fé não se ensina! Sente-se ;)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  17. Ainda são muito novas ! ... Daqui a 10 anos verás como estarão completamente diferentes e divergentes do que pensas hoje !
    Não sei até se irás ou não gostar, mas nestas coisas para além do básico, não nos resta muito mais para lhes transmitir ! ... O tempo fará o resto, a teu gosto, ou contra ele !

    Abraço ! :)

    ResponderEliminar
  18. Chegará a altura em que ela irá questionar ainda mais. Para já o importante é que tenha bases, depois será com ela.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar