Não faço a mínima ideia...

Gosto de me informar e ler sobre muitos assuntos que estão na ordem do dia, para poder formar uma opinião. 
Tenho sido, ultimamente, bombardeada com informação sobre a eutanásia a qual tenho absorvido. Contudo, confesso que não consigo processar tanta informação ao ponto de ter uma opinião convicta.
Não é quanto à legalização, que essa penso que será o caminho, desde que seja assegurado que quem decide por termo à própria vida tenha o pleno uso das suas faculdades mentais, atestado por quem é especialista no assunto (o que, obviamente, excluí os menores e os de alguma forma incapacitados), bem como exista um motivo ponderoso e irreversível para a tomada dessa decisão. Na verdade, as pessoas têm diferentes ordens de valores e não faz sentido incriminar uma coisa que não é consensualmente má.
Não consigo é ter uma opinião sobre a eutanásia em si. Se, por um lado, a vida é o bem mais precioso e a morte é irreversível (o que me faz ser absolutamente contra a pena de morte), por outro lado, nem as minhas convicções religiosas me conseguem fazer rejeitar a ideia de que a cada um deve ser dada a liberdade de escolha em determinados casos e que Deus nãos criou para sofrermos.
Penso que é uma coisa muito íntima e difícil de julgar (daí não me chocar absolutamente nada a sua legalização relativamente a pessoas absolutamente conscientes e que vivam num grande sofrimento). 
Nenhum dos argumentos me convence na plenitude.



12 comentários

  1. Sinto-me exactamente nessa mesma posição ! Concordo em absoluto com o que escreveste !

    ResponderEliminar
  2. Entrei no seu blogue e na realidade deparei-me com o tema da actualidade.
    Sou a favor da legalização depois nas suas plenas faculdades cada um sabe de si.
    Eu, presentemente sou mais a favor dos Cuidados Paliativos e era bom que os houvesse com qualidade e quantidade
    Parabéns pelo blogue

    ResponderEliminar
  3. Entrei no seu blogue e na realidade deparei-me com o tema da actualidade.
    Sou a favor da legalização depois nas suas plenas faculdades cada um sabe de si.
    Eu, presentemente sou mais a favor dos Cuidados Paliativos e era bom que os houvesse com qualidade e quantidade
    Parabéns pelo blogue

    ResponderEliminar
  4. Também estou na mesma situação, não consigo ter uma opinião concreta sobre esse assunto...

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Já somos duas, ou três! :))

    Uma excelente tarde. Beijo!

    ResponderEliminar
  6. É um assunto muito intimo e acho que acabaremos por ter sempre opiniões contraditórias sobre o mesmo. Se, por um lado, sinto que não temos o direito de pôr fim à nossa vida, a verdade é que, por outro, acho que devemos vivê-la com o mínimo de qualidade (se já não for possível o máximo) - até porque, caso contrário, já nem é viver

    ResponderEliminar
  7. Muito boa reflexão sobre um assunto tão difícil e com uma imagem que diz muito!

    ResponderEliminar
  8. Esta reflexão poderia ser escrita por mim. Não é um assunto fácil e acho que é muito íntimo.
    Como comentaram já aqui, acho que seria fundamental apostar nos cuidados paliativos e oferecer o melhor possível às pessoas em fase terminal de vida. Ao mesmo tempo, acho que devemos ser livres de decidir, de forma consciente e na presença de todas as nossas faculdades mentais, o que fazer com a nossa vida e estabelecer até onde queremos levar o nosso sofrimento. No fundo, este tema gerará sempre muita discórdia e apela muito aos nossos sentimentos. Acima de tudo, acho que devemos é respeitar a vontade.
    Boa reflexão.

    ResponderEliminar
  9. Uma decisão demasiado pessoal para ser comentada por terceiros.
    Foi o tema que escolhi há muitos anos para trabalho de fim de estágio de advocacia.
    Bfds

    ResponderEliminar
  10. Eu diria que é um tema extremamente delicado. Pessoalmente, sinto-me mais inclinada para ser a favor da eutanásia. Há casos muito complicados em que já não se vive. Quando o que se sente é um sofrimento atroz, penso que será um alívio para a pessoa em si e para quem a rodeia. Mas cada caso é um caso e acho que não será algo que deve ser decidido de ânimo leve.

    ResponderEliminar
  11. Apesar de nao saber se teria coragem de acabar (ou pedir) para acabar com a minha propria vida, sou a favor da eutanasia. Estamos a falar de uma pratica que so podera ser possivel se a pessoa estiver totalmente dentro das suas capacidades mentais e em situacoes extremas, sem possibilidade de cura e em sofrimento muitas vezes atroz. Nao e', de certeza, uma decisao tomada de cabeca leve. E a pratica da eutanasia nao implica o fim dos cuidados paliativos. Tenho e' muita pena que haja um grupo de 230 pessoas que decida estas coisas tendo so em conta as suas conviccoes pessoais, sem haver um referendo para saber o que a populacao quer, principalmente com temas como estes.
    Nini

    ResponderEliminar
  12. Sou a favor, mas teria de estar muito bem regulamentado, para que só mesmo em casos extremos é que se pudesse fazer. Depois de ver o meu avó sofrer tanto, acho que se tivesse dito que o pretendia fazer eu compreenderia.

    ResponderEliminar