Pobrete mas alegrete!!!

Pobrete mas alegrete, é uma expressão muito utilizada na minha zona, para dizer que, há muita gente que tem fracos recursos económicos mas vive alegre e feliz com a vida.
Pelos vistos, é o que acontece com a maioria dos portugueses. Segundo um estudo da Universidade Católica os portugueses vivem felizes e satisfeitos com a vida. E, ainda bem que assim é.
Eu, se não fosse odiar o meu trabalho, graças a Deus não tinha nada que me incomodasse verdadeiramente.
Mas o estudo diz mesmo respeito a uma percentagem da população e não a toda, pois ainda agora, no meu serviço, uma senhora chorava baba e ranho porque está desempregada e são os familiares que lhe pagam as despesas...isto já para não falar nos estudos que apontam para um aumento das doenças como a depressão.
Mas, haja alegria que hoje é sexta.

10 comentários

  1. Haja pelo menos alegria para enfrentar as dificuldades...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Abençoado final de semana!!!!!!!!!! Beijos

    ResponderEliminar
  3. Um alegrete , é apenas um pequeno canteiro, não um jardim, talvez por isso há quem chore baba e ranho.
    É o que temos, uma alegre tristeza

    :)

    ResponderEliminar
  4. eu li numa revista que em portugal há cada vez mais pessoas depressivas !

    ResponderEliminar
  5. A vida é tão curta que realmente mais vale andarmos alegres e felizes, mesmo sendo "pobretas"... Aprendermos a ser felizes com o que temos e conseguirmos ultrapassar rapidamente as situações negativas é o melhor a fazer.

    ResponderEliminar
  6. Alegria e optimismo, sempre e acima de tudo :))) muito obrigada pelo teu carinho, beijinho e bom fim de semana!!!

    ResponderEliminar
  7. Mesmo com problemas o melhor é enfrentar a vida com um sorriso. Mas há muita gente com graves problemas e que não conseguem sorrir. A vida não está fácil. Bjs.

    ResponderEliminar
  8. não conhecia essa expressão... é engraçada.
    As pessoas "pobres" conseguem ser felizes quando nunca viveram com grandes recursos e estão habitadas a "esticar" o dinheiro. Aquelas que não têm mesmo dinheiro nenhum não conseguem ter felicidade

    ResponderEliminar
  9. São as coisas mais simples que nos dão felicidade, como a família e os amigos, o sentir o cheiro da terra e um bom passeio, mas é sempre preciso algum dinheiro, quanto mais não seja para comer e ter um tecto.

    ResponderEliminar
  10. Enquanto se conseguir ter dinheiro para um mínimo de dignidade e conforto, não é muito difícil encontrar-se motivos de alegria nas pequenas coisas da vida, é a teoria do "não temos mais temos menos, o que é preciso é ter saúde, amor, família e bons amigos"... mas não acredito que o verdadeiro pobre, o que não tem sequer uma côdea de pão para meter na mesa, isto se tiver mesa, ou um tecto, encontre motivos de alegria seja onde for... O povo português, no seu geral, sempre esteve habituado a viver sem grandes luxos, a grandes malabarismos com o orçamento familiar e a ser "desenrascado", mas assusta-me ver que a tal verdadeira pobreza avança, invade a sociedade e que não há desenrascanço que valha!

    ResponderEliminar