A segunda vaga...

Há uns tempos ouvi o psiquiatra Júlio Machado Vaz, especialista que muito prezo ouvir, falar de uma terceira vaga provocada pelo Covid, a vaga de problemas mentais, ou seja os distúrbios resultantes do confinamento...
Como ainda estamos na primeira em termos de saúde física, começo a achar que a segunda vaga está a surgir simultâneamente. Os meios de comunicação social, que eu já evitava por não falarem de outra coisa senão da pandemia, todos os dias das últimas semanas têm casos macabros para contar. Pais que matam filhos, familiares que se matam por dá cá aquela palha, psicopatas que matam pseudo namoradas, rixas e pancadaria em imensos locais.
Eu estou a sair de tudo isto muito mais equilibrada interiormente e fui idiota ao ponto de acreditar que a humanidade em geral sairia mais solidária e paciente disto tudo...Pois... foi mesmo idiotice...
O desconfinamento assemelha-se a uma entrada enraivecida dos touros na arena...eu, que detesto touradas, não consigo pensar em outra imagem quando penso na quantidade de crimes violentos que têm acontecido.

10 comentários

  1. Muitos membros da sociedade já têm, infelizmente, a propensão para problemas mentais; outros (muitos) dependem da orientação social, digamos assim, para seguir uma rotina e para se sentir membros produtivos da sociedade. Quando essa orientação falha, sentem-se à deriva e escolhem o caminho errado.
    Uma situação muito preocupante que os governos a todos os níveis deverão abordar e estudar para criar medidas que possam ajudar estas pessoas. Que mundo!!

    ResponderEliminar
  2. O pós-pandemia é um mistério.
    Tentar adivinhar não passa disso mesmo, adivinhar.

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    Não podia estar mais de acordo com o seu post.
    Também pensei que as pessoas iam tirar uma lição desta pandemia, quanto mais não fosse para agradecer a saúde que é tão preciosa e nem sempre valorizada.
    Uma semana feliz!

    ResponderEliminar
  4. Infelizmente a maldade sempre existiu e não me parece que seja por causa da pandemia, ou do confinamento que vivemos. É triste pensar que existe gente capaz de fazer tanta coisa má e impensável a maioria dos seres humanos.

    ResponderEliminar
  5. E ainda falta a vaga dos ... divórcios
    .
    Tenha um dia de Paz e bem

    ResponderEliminar
  6. A rapariga não foi morta por um pseudo-namorado, foi morta por um conhecido que queria namorar com ela mas que ela não queria, logo não é um pseudo-namorado algum...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu digo pseudo, se calhar num português incorrecto, porque ele se fazia passar como tal, embora não sendo. Para mim pseudo significa Falso ou enganador...ora, ele fez-se passar como tal perante a família dela, não o sendo, por isso é falso e enganador.

      Eliminar
    2. Não acho que se deva chamar ao assassino da rapariga qualquer coisa que se assemelhe a uma possível relação íntima. É a minha opinião, claro que tens liberdade de escrever o que achares melhor e eu acredito mesmo que não tenha sido com qualquer má intenção...

      Eliminar
  7. Gostei de te ler! Há que aguentar firme para que não nos dê nenhum fanico. As notícias são tristes demais! :((
    -
    Areia molhada, e um silêncio no coração.

    Beijos e uma excelente tarde!!

    ResponderEliminar