Não, não estamos!

Hoje senti-me triste. A ideia de um novo confinamento deixava-me e deixa-me com um nó na garganta. Angustiada. Não por mim ou pelos meus porque, graças a Deus, a vida tem corrido com tranquilidade, Bem sei que, perante o actual panorama, se mostra, para quem entende do assunto, como imprescindível. Mas, isso não faz com que me sinta mais tranquila. Não deixo de pensar em todas as consequências ao nível da saúde, física e mental que vão resultar daqui. Não só pela falta de liberdade em si, mas por todas as dificuldades económicas que vão ser geradas para demasiadas famílias. Alguém me disse uma frase que resume aquilo que sinto quando vejo as dificuldades por que passam muitos daqueles com que me cruzo todos os dias na minha vida pessoal e profissional. Aqui a partilho.

3 comentários

  1. Olhando aos números diários da pandemia, o confinamento é um "mal" necessário. Temo que as coisas a nivel de infetados e mortes entrem num ritmo incontrolável.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Penso que no atual estado é necessário, mas também sei que isso vai gerar mais desemprego, mais fome.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
  3. Estamos e não estamos no mesmo barco...
    Estamos, no sentido em que só se estivermos todos isto pode melhorar...
    Não estamos, pois há quem infelizmente sofra mais que outros.

    ResponderEliminar