Boa medida!

Não quero parecer vaidosa, mas fui sempre boa aluna. As minhas filhas também são. Eu nunca fiz exames em ano nenhum, excepção feita à malograda Prova Global e aos exames de disciplinas próprias para o meu curso.
Não me sinto mal preparada, nem sinto que os exames do ensino básico, que não fiz, me tenham feito falta. Não tinha maturidade e a escola não se resumia ao Português e à Matemática.
Como mãe de uma menina que está no 4º ano fico contente por acabarem com os exames nacionais desse ano. Sou pela avaliação contínua, por uma avaliação rigorosa, mas contra tudo o que cause ansiedade e que perturbe o normal andamento do ano lectivo. Ao que sei, no segundo período, os professores não faziam mais nada que preparar os exames.
E não me venham com a ideia de que era uma forma de seleccionar os alunos. A avaliação tem de ser feita ao longo do ano, em todas as áreas e não ficar restrita a umas horas que, por qualquer factor imprevisível, podem correr mal.

10 comentários

  1. Concordo, e não é com um exame que vão avaliar os conhecimentos da criança. Em tão tenra idade só os prejudica.

    ResponderEliminar
  2. Eu fiz o exame do quarto ano e não me fez mal nenhum, para o do quarto ano ia nervosa, quando chegou a altura de fazer o do sexto já sabia maus ou menos como era e já fui tranquila, aliás tirei nota máxima neste. Acho que os exames do 4* não fazem mal aos miúdos, aliás até eram bons na minha opinião, assim tinha-se a certeza que todos uam bem preparados para o temido 5* ano e que não andavam la a patinar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo que haja perspectivas diferentes. Como já disse acima, eu, hoje com 42 anos, sinto que não me fez falta nenhuma e que se o tivesse feito só teria servido para me enervar. Seja como fôr, até já tinha comprado fichas adicicionais para a minha filhota ir fazendo.

      Eliminar
  3. Eu sou do tempo do exame na terceira e quarta classe. É que eu nasci em mil nove e troca o passo.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  4. Nao me recordo se ja havia exame na minha altura, ja foram tantos os testes... Mas nao recordo mesmo. Bem, nunca reprovei, se houve correu bem :)
    Mas concordo, a avaliaçao devera ser feita ao longo do ano. Estamos a falar de bases, nao é simplesmente materia. É conhecimento fundamental que tem de ser bem trabalhado diariamente.

    ResponderEliminar
  5. Reduzir o trabalho de um ano a um único momento não é justo e acaba por causar mais ansiedade.

    ResponderEliminar
  6. Verdade, a avaliação deve ser continua e não decidir-se num só exame.

    ResponderEliminar
  7. Tb concordo. O exame pode não refletir a preparação/conhecimentos do aluno por várias razões: ansiedade, nervosismo, um dia mau... Porém, os alunos deverão começar a habituar-se a lidar com um certo nervosismo como preparação para a vida...
    : )

    ResponderEliminar
  8. Eu acho bem que tirem
    Acho que esse processo só os enervava mais, e muitas vezes não conseguem fazer o melhor que sabem.

    Beijo e um excelente Domingo
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. O ensino hoje em dia está muito diferente do que era antigamente. É um facto que no meu tempo se os alunos não soubessem, chumbavam de ano. Hoje tudo é diferente, Actualmente trabalho com alunos que no 3º ano mal sabem ler e escrever. Eu percebo os efeitos negativos em termos de auto estima para um aluno que fique retido. A questão está que este não beneficia em nada transitar para um ano onde o que irá aprender nada faz sentido para ele visto que não tem bases sólidas para seguir em frente. Trabalho diretamente com alunos de 5º ano e posso afirmar que me faz muita confusão perceber como chegam a um 2º ciclo tão mal preparados.

    ResponderEliminar