quinta-feira, 17 de março de 2016

Algo vai mal...

Li, há pouco, que uma em cada catorze famílias portuguesas não consegue arranjar dinheiro suficiente para a sua alimentação, havendo mesmo 6, 6 % de portugueses que passam verdadeiramente fome...
Logo a seguir leio informações sobre os destinos mais procurados pelos portugueses para passarem as férias da Páscoa, que vão desde países estrangeiros ao Algarve.
Seja como for, algo vai mal no Reino da Dinamarca (ou melhor Portugal): enquanto uns gastam o que têm (ou o que não têm), numas faustosas férias da Páscoa, muitos não têm sequer que comer!

14 comentários:

  1. Convém não esquecer que cerca de 20% dos portugueses estão no limiar da miséria.

    Uns de férias (de luxo), outros sem dinheiro para comer.
    Não se aceita mas compreende-se: os bancos não emprestam dinheiro para comer.

    ResponderEliminar
  2. É e sempre será assim. Todos nós, que felizmente não passamos por isso, continuamos a fazer a nossa vida. Continuamos a comprar roupa, a ir de férias e a proporcionarmos bons momentos à nossa família. E, ao lado, há sempre alguém a passar dificuldades. Comparar este tipo de situações é um pouco falacioso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tenho que concordar. Cada um tem o que tem e desde que não tenha sido roubado faz o que entende com o seu dinheiro. Haver gente a passar fome é terrível e não devia acontecer mas sempre foi e será assim e não é só em Portugal. São situações diferentes mas que não têm relação entre si.
      bjo

      Eliminar
    2. A questão não é cada um gastar o dinheiro que ganha legitimamente como quer. A questão é que vivemos num país onde as desigualdades são cada vez mais gritantes. Eu também faço com o meu dinheiro o que quero. Mas não me é indiferente que as coisas sejam assim. Mexe comigo.

      Eliminar
    3. Eu acho que sempre foi assim, nós é que andámos iludidos (nos anos em que o dinheiro era oferecido a quem tinha e a quem não tinha pelos bancos), vivíamos na ilusão de que todos podíamos quase tudo, o que com a crise se acabou, a ilusão claro. E voltámos a olhar e a ver a miséria que sempre existiu e estava disfarçada!

      Eliminar
  3. Acho que sempre foi assim. E é verdade que muitas vezes há quem fale de barriga cheia, porque há situações realmente terríveis...

    ResponderEliminar
  4. Que se estranha...ai isso estranha...e não se entranha!!!

    ResponderEliminar
  5. Essa é a essência das crises. O dinheiro é o mesmo, vais é mais para um lado e menos para o outro...

    ResponderEliminar
  6. "sempre foi assim" "sempre foi assim" parece cantilena, sempre houve pobres é verdade mas, estamos a falar de FOME! E claro que cada um faz com o seu dinheiro o que bem entender, mas TODOS devíamos estar a perguntar o que fazem os (des)governos com o nosso dinheiro, onde o enterram? a favor de quem? A exigir contas, a questionar e a despedir se fosse o caso, sim despedir, não são mais que nossos empregados, com a diferença que ganham muito mais que nós, e as famílias até à 5ª geração fica toda bem. Assobiamos, pró lado, mesmo sabendo isto tudo, mesmo que ao nosso lado haja alguém a passar FOME.
    " Martin Luther King disse: “O que mais me preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem carácter, dos sem ética… o que mais me preocupa é o silêncio dos bons!”."

    ResponderEliminar
  7. Infelizmente é uma triste realidade.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  8. O mal é quando deixam de comer como deve ser para terem dinheiro para viajar...sim conheço desses casos...

    ResponderEliminar
  9. Um contracenso é verdade, mas nada que não aconteça desde sempre e em todo o lado.

    ResponderEliminar
  10. Cá para mim, o fosso entre quem pode e quem não pode é cada vez maior.
    Se bem que no caso das férias da Páscoa, há gente que vai mas a crédito. E depois andam a sandes para pagar as férias.

    ResponderEliminar