Fico contente...

terça-feira, 19 de abril de 2016
Por razões contrárias à minha vontade (que sonhava com partos naturais sem epidural), as minhas filhas nasceram de cesariana. Por esse motivo, e apesar de uma delas ter nascido num hospital particular, o meu marido não pode assistir ao nascimento delas. Guardo a mágoa de não ter partilhado esses momentos mágicos com ele.
Daí que fique muito contente por ter saído em Diário da República consagrada a possibilidade de a mãe autorizar a presença do pai ou outra pessoa significativa na cesariana, estando os hospitais públicos e privados obrigados a permitir, tendo, agora, 3 meses para se adaptarem para que tudo corra dentro da normalidade.

10 comentários

  1. Uma notícia boa :) mas eu também ja nao vou usufruir

    ResponderEliminar
  2. Eu não sou mãe, mas concordo plenamente.
    Acho que é um momento para ser vivido a dois.
    :-)

    ResponderEliminar
  3. Ainda bem que "no meu tempo" não se usava isso.
    Eu lá tinha coragem para assistir a um parto normal? Quanto mais de cesariana... desmaiava a meio. ahahah

    ResponderEliminar
  4. Sabe que alguns estudos diz que a maioria dos homens que assistem ao parto das mulheres perdem o interesse sexual por elas depois disso?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses são os homens que vêem a corpo feminino exclusivamente como um objeto de desejo e ficam com as ilusões despedaçadas. Coitadinhos... só que não.

      Eliminar
  5. felizmente eu tive os partos que queria... sem a bela da epidural, correram muito bem, rapidinhos e com o pai sempre ao lado. Um cá, outro na Espanha. Mas tb fiquei muito feliz com a notícia, porque cm foi o teu caso, nem sempre as coisas correm como queremos.

    ResponderEliminar