Coisas que não me convencem...

terça-feira, 4 de abril de 2017
Somos um país com uma das maiores taxas de vacinação no mundo. Devo dizer que isso me alegra, pois diz muito acerca da nossa evolução em termos de saúde profilática.
Não obstante, tenho lido, que em Portugal e na Europa têm surgido imensos casos de sarampo e outras doenças evitáveis através de vacinas incluídas no plano nacional de vacinação. Isto causa-me uma comichão incrível. Apesar de não ser obrigatória a vacinação, não entendo como alguns pais se deixam levar por novas teorias acerca das desvantagens da vacinação, concluindo que as mesmas são prejudiciais aos miúdos.
Nunca me esquece de um blog que segui aqui durante meses a fio, de uma mãe que perdeu uma filha com pouco mais de um ano, porque tinha ficado convicta dos fundamentos dessa corrente e tinha optado por não vacinar a pequena, que acabou por morrer de uma doença evitável com uma das vacinas dadas nos primeiros dias de vida.
Já li muito sobre o assunto e não fiquei convencida. Percebo que alguns pais não possam dar aos filhos vacinas fora do plano nacional de vacinação, dado o seu preço exorbitante. Mas, senhores, aquelas que estão disponíveis para todos?


23 comentários

  1. Sou radical nestes casos: um pai ou mãe que recusasse vacinar os filhos para mim deviam perder a guarda dos mesmos. Não há paciência ou tolerância para a ignorância militante deste tipo de corrente anti-vax...

    ResponderEliminar
  2. Se há coisa que eu não facilito é com a saúde da minha filha. No que diz respeito a vacinas, ela tomou todas as que estão no plano de vacinação nacional e também as "extra". Custam uma fortuna (lembro-me bem de referir no meu blogue que só em vacinas para os dois primeiros anos de vida, a coisa rondou os 900€) mas a minha consciência não ficaria descansada se dissesse não a algo que sei que pode ser muito importante na prevenção de doenças futuras.

    ResponderEliminar
  3. Concordo. Por algum motivo as vacinas foram implementadas, pelo menos é essa a minha visão. Vou acompanhar aqui o blog! Um beijinho <3

    THE PINK ELEPHANT SHOE // INSTAGRAM //

    ResponderEliminar
  4. Muitas vezes também acredito que seja falta de informação. Porém devemos sempre dar um passo em frente e procurarmos informarmos-nos sobre o assunto. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. As pessoas querem tanto acreditar na cabala da indústria farmacêutica que acabam por colocar a vida das suas crianças em risco. O problema é que também colocam a vida de outros em risco!

    ResponderEliminar
  6. Este é um assunto que poucas mais me dão razão... eu sempre fui anti vacinas... sempre fugi de dar as vacinas aos meus, as que dei fui mesmo obrigada, tendo sido chamada ao centro de saúde para as fazer, a menos que assinasse um termo de responsabilidade.
    Ok. optamos então por dar as do plano de saúde e nenhuma das outras...

    ResponderEliminar
  7. Também não compreendo! Mas há quem esteja convencido que como as crianças dos outros estão vacinadas, as deles não precisam estar. E como, aliado a isso, acham que as vacinas são causa de autismo...
    Esta corrente anti vacinação tem vindo a destruir trabalho e resultados obtidos ao longo de décadas na erradicação de algumas doenças! E é triste de se ver...

    ResponderEliminar
  8. Muitas das doenças que hoje em dia se encontram erradicadas ou quase deve-se a vacinação. Há risco? Claro. Mas muito menor do que não vacinar!
    Fora isso ainda incorrem o risco de contaminar outra pessoa/criança...

    ResponderEliminar
  9. Eu sou de opinião que se deve a inadimplência as crianças sempre se vá inou não é coisa nova e sempre houve quem não acreditasse na profilaxia das doenças infecciosas. Entendem que a. Criança deve ter as doenças e até às aproximam de quem estivesse com uma para ter a doença.
    kis :=}

    ResponderEliminar
  10. Há 15 anos atrás, paguei uma pequena fortuna por duas vacinas para a meningite quando ainda não havia nenhuma no plano de vacinação. Sou totalmente a favor, nem conseguiria viver com a minha consciência se a minha filha adoecesse por eu ter optado por não a vacinar!

    ResponderEliminar
  11. Acho que este é um assunto muito controverso e difícil de debater. Por um lado, penso que cada pai tem o direito de decidir o que julga ser melhor... e muitos acreditam tão profundamente que as vacinas são prejudiciais como outros acreditam profundamente que não o são. Quanto às vacinas poderem causar autismo, eu penso que preferia ter um filho autista do que um morto... O que fazer? Os pais não são obrigados a vacinar as crianças. Mas a minha opinião é semelhante à tua. Também não consigo compreender esse ponto de vista :/

    ResponderEliminar
  12. À muita gente que acredita que não vacinar os filhos os estão a proteger, porém não é bem assim ..

    ResponderEliminar
  13. Acho que no texto há um erro ("vacinar" e não "visitar"). :)
    Quanto às vacinas...o problema é que as pessoas não se informam, ou melhor, informam-se nos sítios errados. Ainda há muita gente que acredita no mito de que as vacinas causam autismo (e acreditando nisto é normal que não queiram vacinar pois não querem que os filhos sejam autista), há quem acredite que as vacinas afectam mais tarde a fertilidade do homem e da mulher, há quem acredite que as vacinas são coisas tóxicas que se injectam no corpo dos bebés. Não compreendem como é que funcionam as vacinas, lêem e ouvem coisas que não são verdade mas que sendo ditas e escritas de forma tão convincente, conseguem convencer meio mundo.

    ResponderEliminar
  14. Não se justifica que haja médicos que apelam a vacinação e outros que não!!!
    Agora dúvidas nos pais!? ... até que entenderei! bj

    ResponderEliminar
  15. Pelo menos as que estão no PNV deveriam ser sempre obrigatórias. Nós também optamos por lhe dar outras duas fora do plano, foi-nos aconselhado e nós preferimos prevenir do que remediar. É um esforço que se faz mas no que toca a saúde não olhamos a gastos. Vacinar é proteger os nossos e os que nos são próximos ...

    ResponderEliminar
  16. A nossa sociedade ainda não tem essa abertura de discussão mas, para os animais, podemos escolher, na minha opinião paras as nossas crianças também...

    ResponderEliminar
  17. Eu nem sei que diga sobre a vacinação. Sou de acordo com a maioria, outras não. Só em saber que, depois de uma das vacinas da meningite a minha neta começou a regredir, e hoje, é uma criança diferente/deficiente. Claro, os médicos dizem que não. Não me convencem.
    Se algumas vacinas não aconselháveis, outras não concordo.

    Se tivesse agora um filho, não lhe dava algumas.

    Beijinhos amiga

    ResponderEliminar
  18. Bem, sobre isso acho que cada um sabe de si, principalmente porque não tenho filhos.
    Mas é só assim muito estranho mesmo essa situação dessa mãe. Eu imagino como ela não deve ter ficado.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  19. Lá está, cada um tem a sua ideia, mas tratando-se de vacinas já tão testadas há décadas, não vejo qual é o problema deles!

    ResponderEliminar
  20. Só é contra as vacinas quem não viveu em tempos em que morria mais do que muita gente com doenças que hoje estão erradicadas.
    Não concordo com todas as vacinas, porque eu acredito sim que algumas não são tão benéficas assim, mas sou a favor da maioria, porque pesando na balança, mais vale apanhar a dita vacina, do que a doença. Mais vale apanhar a vacina, do que ter culpa do início de um surto de doenças letais.

    ResponderEliminar
  21. Tu deves saber, mas tendo em conta que a criança nãoo pode tomar uma decisão as vacinas no plano de saúde não são obrigatórias??

    ResponderEliminar
  22. Com a saúde da minha filha eu não sou permissiva.
    Ela leva todas as vacinas sejam do plano ou as extra, por muito caras que sejam.
    Prefiro investir nessas vacinas e ela estar protegida do que viver com o peso na consciência de que algo lhe poderia acontecer por uma falha minha.

    ResponderEliminar