Negligência? Sim, sem dúvida!

Como mãe de duas crianças, que ainda não há muito foram pequenas traquinas, incapazes de prever quaisquer perigos, custa-me sempre fazer juízos acerca do comportamento de outros pais, sobretudo se não sei pormenores.
Apesar disso, devo dizer que fiquei um bocadito "apalermada" ao ouvir a expressão de que os familiares da criança de dois anos e meio que foi colhida por uma comboio Intercidades, na linha da Beira Alta, estavam revoltados com a falta de condições de segurança do apeadeiro.
Percebo e concordo que as condições de segurança eram péssimas, mas, isso para mim era apenas motivo para uma atenção redobrada daqueles familiares. Percebo que a criança fosse traquina e viva, mas, isso para mim, é apenas motivo de atenção a triplicar. Repare-se que não sabem explicar como a criança estava a caminhar pela linha ou a brincar nela. 
Uma situação era a criança ter saído disparada de ao pé dos familiares e eles não se terem apercebido no imediato segundo (como dizia a minha mãe "as crianças cegam-nos"). Outra bem diferente é não haver explicação para o facto de o bebé estar naquele local.
Se queremos preservar os nossos filhos, não podemos estar à espera que as circunstâncias sejam as adequadas ou agir como tal. Temos de portar-nos com mil olhos, de acordo com as circunstâncias.

13 comentários

  1. Para mim foi negligencia dos Pais. Segurança nas passagens de níveis tem de haver e muita. Mas, neste caso, a falta de cuidado é dos pais da criança. Nem sei que diga mais.Enfim.


    Beijos, bom fim de semana

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente. A minha sempre foi relativamente sossegada e andava sempre com os olhos postos nela (ainda hoje :))

    ResponderEliminar
  3. O meu filho, com pouco mais de um ano, caiu-me de umas escadas e eu morri por um segundo (até falei disso lá no blogue). Fugiu de mim a correr e, mesmo comigo na peugada dele, foi para as escadas e caiu. Felizmente nada lhe aconteceu, mas custou-me muito perdoar-me por o ter deixado escapar. Meio ano depois, estava sentado ao meu lado na bancada da cozinha - estávamos a fazer um bolo - e num segundo estava ali, no outro segundo estava no chão. Ali mesmo ao meu lado e comigo meio à frente dele. Acidentes acontecem, mesmo quando estamos ali mesmo ao lado. Por isso não quero nem imaginar quando não estamos ali mesmo ao lado!!
    Sempre dei muita independência ao Tiago em casa - não estou sempre atrás dele, mas também não há nada que o possa magoar gravemente - no entanto, fora de casa é só olhos, e mão quando estamos num sítio menos seguro, e colo se for preciso para evitar desgraças! Segurança, sempre! Cuidado, sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso são acidentes que acontecem, só não acontecem a quem não toma conta de crianças, já casos destes em que as crianças andam na rua sozinhas, sem vigilancia nenhuma são irresponsabilidade pura! Não tem qualquer desculpa. E está grávida novamente, um must!

      Eliminar
  4. Totalmente de acordo! Para mim, também foi negligência por parte dos pais!

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. A coisa mais descabida que se possa imaginar, atribuir as culpas à falta de condições de segurança no apeadeiro ! ... Desculpas esfarrapadas ! :((
    Também o atribuir "culpas" à mãe, isso é muito relativo ! ... Só quem tem ou teve crianças poderá avaliar ! ... Há sempre momentos em que pode haver uma distracção e as crianças, sabe-se bem, são extremamente irrequietas !
    Difícil de avaliar, sem se ter nas mão todos os dados ! :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh Rui desculpe lá, uma coisa é soltar a mão de uma criança e ela fugir, outra coisa é deixar uma criança de 2 anos e picos por sua conta, sem qualquer vigilancia ... não tem qualquer desculpa. A qualquer mãe com cabeça isto não acontece, a não ser que se sinta mal no meio da rua e desmaie, ou que leve com uma coisa na cabeça para ser assaltada, ... nenhuma mãe com cabeça deixa uma criança desta idade sozinha. E não me venham com a treta da conversa que nas aldeias ... irresponsável completamente.

      Eliminar
  6. A sério que isto aconteceu?
    Realmente não se pode fazer juízos de valor, mas não deixa de ser estranho.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Inaceitável ... incompreensível e inadmissível!!!

    ResponderEliminar
  8. Já minha avó dizia que com crianças por perto eram precisos cem olhos.
    Uma vez em Paço d'Arcos o meu marido levava o nosso filho, na altura com três anos pela mão. Largou-lhe a mão para cumprimentar um amigo e o garoto que estava a mirar um vão do outro lado da rua, saiu a correr para ir ter com o cão. O pai correu atrás dele, não viu um arame que cercava um canteiro e espalhou-se no jardim, e só não aconteceu uma desgraça, porque uma senhora que seguia no passeio entre o jardim e a estrada o segurou.
    E o pai deu cabo de um joelho do qual ainda hoje sofre, e já lá vão 35 anos.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  9. Foi exatamente o que é u pensei quando vi a notícia. Tenho uma filha de 2 anos e meio muito irrequieta e nunca lhe largo a mão na rua e em locais públicos têm que estar sempre junto a nós. Nunca a perco de vista. Todo o cuidado é pouco. Ele são tão imprevisíveis! Narcy

    ResponderEliminar
  10. Realmente, filhos tem que se ter cuidados redobrados, nunca podem fugir de nossa vista. Segurança é tudo! Mas também , infortúnios acontecem sempre.
    Beijos,
    DMulheresInstagramFanpage

    ResponderEliminar
  11. Não podia estar mais de acordo. E pior é que quem sofre são os miúdos devido às "distrações" dos pais: que elas existem, sim existem e facilmente uma pessoa passa por situações que seriam dispensáveis se estivesse atento, mas há situações que não justificam tal tragédia. Este fim de semana um miúdo morreu porque caiu do 3º andar da casa onde morava, supostamente estava sozinho em casa porque a mãe e a namorada do irmão tinham saído. Incompreensível!

    ResponderEliminar