Nem sempre é fácil...

Nem sempre é fácil aceitar com resignação a morte.
Estou triste. Um amigo deixou de estar fisicamente entre nós. Uma referência desde a infância. Um homem bom como conheci poucos! Para os que, como eu, têm fé, apenas deixou de estar à distância de um telefonema, para passar a estar à distância de uma oração, de um pensamento. Perdemos um homem, mas vamos ganhar um santo!

Com ele aprendi a ter uma vista arejada da igreja. Uma Igreja na qual me sinto eu, livre para pensar e com dever de aceitar todos.
Obrigada, Padre António Francisco. Não lhe chamo Dom, porque para mim não há nada mais nobre na igreja que ser padre. E foi enquanto padre que o conheci e o guardei no meu coração. Obrigada por ter abençoado o meu casamento e a vida das minhas filhas!

6 comentários

  1. Porque há alturas em que as palavras não servem de consolo, deixo um apertado abraço

    ResponderEliminar
  2. Sendo assim, fica muito mais difícil a aceitação.

    É assim, vão-se perdendo os "Pessoas" que fazem falta à humanidade

    Um beijinho grande se boa noite.

    ResponderEliminar
  3. Bispo do Porto, amigo de amigos meus.
    Que repouse em paz.

    ResponderEliminar
  4. É sempre difícil aceitar a morte, principalmente, quando se trata de pessoas muito chegadas a nós e que fizeram parte da nossa vida!

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar